HAITÔREI (A proibição do Katana)

廃刀令

HAITÔREI

A proibição do Katana

Katana proibido

Mesmo com o fim das guerras durante o 江戸時代 Edo Jidai (período Edo), comandado pelos 将軍 Shogun da família Tokugawa de 1603 a 1868, o Japão permaneceu violentamente impotente no domínio dos Samurai. Muitos foram os fatores dessa desordem, como dificuldades da política nacional e internacional, crises domésticas sérias na sucessão do XIII Shogun no 幕府 Bafuku, entre outros. Entrementes, a chegada de uma esquadra dosEstados Unidosde quatro navios, comandada pelo ComodoroMatthew Calbraith Perry em julho de 1853, chegou à baía de Edo, no porto de 浦賀Uraga exigindo a abertura dos portos japoneses ao comércio e navegação estrangeira.
Apesar de apenas quatro navios, os japoneses os temeram e os batizaram de 黒船 Kurobune (Navios negros), que impressionavahaitourei01 pelo seu poder bélico e modernos equipamentos e instrumentos. Iniciando assim uma cadeia de eventos que levariam ao fim do 江戸幕府 Edo Bakufu (Shogunato) no Japão.O responsável em realizar as negociações com os EUA foi o presidente do conselho dos veteranos阿部正弘 Abe Masahiro(1819-1857). Sem nenhum precedente para as negociações, Abe tentou conciliar as vontades divergentes dos conselhos dos veteranos, que queriam abrir negociações, do Imperador, que queria manter os estrangeiros fora, e dos Daimyô, que queriam ir à guerra. Sem um consenso sobre a situação, Abe decidiu favorecer os acordos americanos, permitindo assim abrir o Japão ao comércio estrangeiro, contanto que ao mesmo tempo fosse feita uma preparação militar. Em março de 1854, foi assinado o Tratado da Paz e Amizade 神奈川条約 Kanagawa Jôyaku (ouTratado de Kanagawa), que concedia a abertura de dois portos a navios estadunidenses em busca de suprimentos, a ajuda a náufragos e a permissão a um cônsul dosEstados Unidosde estabelecer uma morada em下田Shimoda, um porto marítimo na península de 伊豆 Izu, a sudoeste de Edo. Cinco anos mais tarde, a abertura de mais portos para navios dos EUA foi forçada ao Bakufu através de tratados, mostrando o início do declínio de poder do Shogunato.
Com a chegada 明治時代Meiji Jidai (Era Meiji) que se constitui no período de trinta e cinco anos do ImperadorMeiji do Japão, que se estendeu de11 de maiode1867a28 de dezembrode1902. OJapãoconheceu uma acelerada modernização, vindo a constituir-se em uma potência mundial.
                                                                                                               
Nesse período um édito emitido pelo governo de Meiji no dia 28 de março de 1876, chamado 廃刀令 Haitôrei, séries de normas levado pelo governo para abolir os privilégios tradicionais da classe Samurai, proibi as pessoas, com a exceção de senhores anteriores (大名Daimyo), o exército e funcionários de execução da lei, de carregar armas em público. Violadores teriam as suas espadas e armas confiscadas. 
O primeiro Haitôrei de 1870 proibiam fazendeiros ou comerciantes de portar espadas e se vestir como Samurai. Esta medida era em parte um esforço para restabelecer segurança pública e por ordem imediata durante o tumultuoso período depois da restauração Meiji e durante a Guerra de 戊辰Boshin (guerra civil, travada de 1868 a 1869 entre forças do governo do Shogunato Tokugawa e aqueles que favoreciam a restauração doImperador Meiji). 
 
Em 1871, o governo emitiu o vergonhoso Édito de 断髪令 Danpatsurei, que constrangia o Samurai a cortar o 髻 Tabusa (rabo de cavalo) e usar o cabelo da maneira Ocidental. Conscrição militar universal foi instituída em 1873, e com a criação do Exército japonês Imperial, o Samurai perdeu o seu monopólio em serviço militar. Os estipêndios hereditários providos ao Samurai pelos senhores feudais (e assumido pelo governo central em 1871) foi abolido igualmente em 1873. A proibição das espadas era controversa na oligarquia de Meiji, mas o argumento não era anacronismo de acordo com a ocidentalização do Japão. 
 
Estas mudanças na sociedade japonesa e no estado social e econômico do Samurai causou o descontentamento no inicio do período Meiji e conduziu a várias rebeliões conduzidas por Samurai, particularmente no Japão ocidental e 九州 Kyûshû. No entanto, essa decadência da classe Samurai já vinha antes da Era Meiji, com essa realidade dura da classe, muitos deles se associaram aos 町人Chônin (comerciantes), em geral eram Samurai de classe inferior, que confeccionavam artesanatos destinados a complementar o seu estipêndio, já insuficiente para viver. Assim, essa classe que desprezava os comerciantes e os via como classe inferior, agora estava submetido e dependente deles.
 
Foi nesse mesmo período que o status de Samurai se tornou negociável, com a evolução da economia monetária, ricos comerciantes adquiriam o titulo de 武士 Bushi mediante o 献金 Kenkin (contribuição, doação) em dinheiro ao senhor do Feudo, conseguindo assim o direito de usar 苗字帯刀 Myôji Taitô (sobrenome e Katana).
 
Também como resultado do Haitôrei, espadas perderam o papel utilitário delas, e muitos 打物師 Uchimonoshi (artesãos de espada) foram forçados a modificar a produção para instrumentos agrícolas e talheres de cozinha para sobreviver.
Em pouco tempo, o mercado para espadas faliu, e muitos artesãos sem um comércio para trabalhar e suas valiosas habilidades estavam perdidas. No entanto, a necessidade para armar os soldados com espadas foi percebida novamente e durante as décadas no começo do século XX os artesãos novamente acharam trabalho.
Japanese Gunto
Estas espadas, conhecido como 軍刀 Gunto (espada militar), que eram frequentemente de baixa qualidade e determinado com um número de série em lugar de uma assinatura do artesão. O Katana permaneceu em uso em algumas ocupações e pela policia para capturar os criminosos e se defender daqueles que poderiam estar armados também com espadas. Por esse motivo, o 剣道 Kendô foi congregado no treinamento policial de forma que o treinamento daria o mínimo de habilidade necessária em usar corretamente essa arma.
 
 
Embora tenha sido um tempo sombrio para o Katana, a arte foi mantida viva graças aos esforços de alguns indivíduos, como a linhagem 月山Gassan de ferreiros que foram empregados como artesãos Imperiais. Os notáveis ferreiros, 月山貞一Gassan Sadakazu e 月山貞勝 Gassan Sadakatsu produziram boas peças igualadas as melhores das lâminas antigas para o Imperador e outros funcionários de altas posições. Os estudantes de Gassan Sadakatsu foram designados Ativos Culturais Intangíveis ou Tesouros Nacionais Vivos, pois encarnaram conhecimentos que eram considerados de fundamentalmente importância à identidade cultural japonesa.
 
 
Em 1938 o governo japonês emitiu uma especificação militar para o que chamado "Katana Tipo 98", muitas máquina e espadas artesanais usadas na segunda guerra mundial se acomodasse a esta especificação. Debaixo da ocupação dos Estados Unidos, ao término da segunda guerra mundial, todas as forças armadas foram dissolvidas, exceto as várias licenças emitidas pela polícia e governo municipal, as produções de Katana com fio foram proibidas.Porém, esta proibição foi extinta depois pela atração pessoal do 本間順治Dr. Homma Junji e o General Douglas MacArthur, que durante uma reunião, Dr. Homma demonstrou lâminas dos vários períodos da história japonesa e o General MacArthur que era um estudante dedicado e que podia identificar quais lâminas eram de importância artística e as quais poderiam ser consideradas puramente armas. Como resultado desta reunião, a proibição geral foi corrigida de forma que a espada classificada de Gunto seria destruída e espadas de mérito artístico poderiam ser possuídas e preservadas. Mesmo assim, foram vendidos muitos Katana a soldados americanos que tiveram dinheiro para gastar a um preço de pechincha ou eram simplesmente roubadas. Algumas permaneceram escondidas, entre elas espadas de renome.
 
 

Nbthk

A partir de 1958 havia mais espadas japonesas na América que no Japão, devido a este desarmamento: Soldados americanos voltavam do Oriente com várias espadas, frequentemente tantas quanto poderia levar. Provavelmente milhares de espadas eram Gunto, mas ainda havia um número considerável de 古刀Kotô (espada antiga - 938 - 1596), Shintô (espada nova - 1596 - 1764) e 新々刀Shinshinto (mais novas 1764 - 1868). Artesãos tinham crescentemente voltado a produzir depois do período Edo, mas este
desarmamento e regulamentos subsequentes quase acabaram com a produção de Katana. Alguns ferreiros continuaram o seu comércio, e Dr. Homma foi um dos responsáveis pela fundação do 日本美術刀剣保存協会 Nihon Bijitsu Token Hozon Kai (Sociedade japonesa para a Preservação da Arte da Espada) que manteve a missão de preservar as antigas técnicas de confecção de espadas. Com os esforços de outros entusiastas e especialistas, o Katana renasceu e muitos mestres continuaram seu trabalho redescobrindo as antigas técnicas e produzindo espadas tão boas quanto as lâminas de antigamente.