UKEMI WAZA

 

Jump_Attack_Cat

受身技

UKEMI WAZA


Ukemi Waza conforme os caracteres usados para sua escrita podem ser traduzidos literalmente como: 受身 Ukemi (Passivo) e 技 Waza (Técnica, arte) ou Técnicas passivas. Porém, se separamos os caracteres (Kanji), a palavra Ukemi é interpretada como: 受 Uke (Receber, aceitar, responder) e 身 Mi/Shin (pessoa, alguém, corpo) ou o “Corpo que recebe”.

Olhando desse ponto de vista, Ukemi pode ser explanado como a Arte de Receber ou de Responder a uma situação de perigo.

Nas disciplinas tradicionais de artes marciais, é inevitável ao principiante o treinamento de Ukemi. Logo, em sua mente surge a concepção e comparação de Ukemi com fazer o papel de “saco de pancada”, e na verdade, é um estudo de comunicação, percepção e auto-proteção. Refletindo mais profundamente, é um meio de adquirir controle sobre si mesmo e sobre as circunstâncias. Ukemi também desenvolve uma organização corporal, acarretando uma melhora na flexibilidade, resistência, coordenação e outros setores físicos.

Uma história do grande mestre 高松寿嗣翊 Toshitsugo Takamatsu relata o quão é importante e como era rígida a disciplina marcial antigamente:

Takamatsu Ôsensei quando jovem foi obrigado a praticar Budô e recebeu um treinamento muito duro. Inicialmente no Dôjô de seu Sensei 戸田真竜軒正 Toda Shinryuken Masamitsu, ele foi lançado em todas as direções pelos estudantes avançados do Dôjô. No inicio, saía das aulas com os cotovelos e joelhos sangrando, e mesmo não querendo voltar, ele era obrigado ir ao treino no dia seguinte. Durante um ano ele passou por esse austero treino, até que ele pudesse levar Ukemi em qualquer circunstância. Somente quando ele ganhou esta habilidade que ele foi instruído em Waza (Técnica).

O Ninja do Japão antigo viveu em constante perigo, não importando o ambiente ou circunstância. Podemos dizer que se eles não entendessem totalmente o real significado de Ukemi, não poderiam ter sobrevivido e nem ter deixado o legado das suas realizações extraordinárias a posteridade. Eles eram peritos em Taihenjutsu ou a “arte de movimentação corporal”, que inclui o Ukemi Waza, Tobi Waza, Aruki Waza e outras habilidades. Muitos os consideravam mestres da fuga ou como seres sobre-humanos por causa da habilidade temerosa para evitar o perigo e, sempre que possível, evitava a confrontação completamente.

Muitos consideram essas atitudes dos Ninja com fraca, amedrontada e covarde, mas, é a má interpretação sobre o conceito Ukemi que desenvolve essa  impressão errada. Esse é um pensamento muito infeliz, porque na realidade é o contrário. Ter coragem e astúcia para saber quando lutar ou não lutar e uma grande sabedoria para poucos.

Desenvolver o real sentimento de Ukemi é desenvolver os sentidos para sobrevivência. Ukemi em um conceito mais amplo é muito mais que aprender a cair ou rolar, vai além da auto-proteção no nível físico, mas também mental e espiritual.

Nesses anos de prática marcial, percebi que muitos adeptos de outras disciplinas que vinham ter aulas comigo, mesmo tendo um domínio de Ukemi básico, deparavam com a dificuldade de assimilar técnicas em situações diferentes ao que estavam acostumados em sua disciplina anterior. Isso mostra que o condicionamento técnico é muito perigoso, a verdadeira habilidade de Ukemi não pode ser eficiente apenas dentro de uma sala de aula protegida com Tatami e em situações amigáveis e condicionadas.

KEIKO IKKAN