Shugendô é o conhecimento obtido no caminho (道 Dô), sendo o resultado de auto-análise e testes (験 Gen) com práticas disciplinares (修 Shu).
Shugendô pode ser traduzido livremente como "caminho de treinamento para alcançar poderes espirituais”.

O 修験道 Shugendô é uma prática que levou a forma de uma religião organizada sobre o fim do período de 平安 Heian (794-1184) quando as práticas religiosas antigas do Japão nas montanhas receberam influência de várias religiões e conceitos estrangeiros oriundo da Índia, Tibet e China.

Essa disciplina combina elementos do pré-budismo, como adoração da montanha, 神奈備信仰 Kannabi Shinkô (idéia que as montanhas são as casas dos mortos e dos espíritos da natureza), convicções do Xamãnismo, animismo (religião primitiva que atribui uma alma a todos os fenômenos naturais e que procura torná-los propícios por meio de práticas mágicas) do Shintoísmo, práticas ascéticas, misticismo do Yin-Yang chinês, magia do Taoísmo e os rituais e feitiços do Budismo Esotérico (Tantrismo) na esperança de alcançar habilidades mágicas, poderes de cura e vida longa. Os adeptos são chamados de 修験者 Shugenja, 修行者 Shugyôja, 験者 Keza (esses que acumula poder) ou Yamabushi 山伏 (esse que deita na montanha). Estas várias nomenclaturas podem ser traduzidas em português como monge asceta ou padre da montanha.

De modo geral, esta seita dá ênfase a resistência física, austeridade como o caminho para iluminação. Adeptos executam jejum, exclusão, meditação, feitiços mágicos, recitação de Mantras e ocupam-se de feitos austeros de resistência. A maior parte das atividades são feitas nas florestas e montanhas e é chamada de 山林修行 Sanrin Shugyô, inclui o 瀧修行 Taki Shugyô (ficar sentado ou em pé debaixo de cachoeiras frias da montanha ou em neve), 奥駈 Okugake (avançar no desconhecido) ou 峰入り Mine Iri - 入峰修行 Nyûbu Shugyô (ir ao cume) devotos escalam pedra ou 行場 Gyôba (marcadores de madeira ao longo da trilha da montanha para prática).




Um exemplo de prática que costuma ser feita fora das montanhas é o 火渡り Hiwatari (caminhar sobre o fogo, simbolizando purificação do corpo e alma do mal). Acredita-se que as chamas não prejudicarão os que pisam rapidamente e ligeiramente, ao invés desses que movem duvidosamente por falta de fé.




Também há procedimentos importantes que os adeptos devem fazer quando entram em qualquer espaço das montanhas sagradas chamado 入山 Nyûzan (entrar na montanha) ou 参拝登山 Sanpai Tôzan (visitar templos e escalar montanhas), em cada fase consiste na prática dos Ketsuin/Shuin (Mudra) específico chamado 確認印 Kakunin In (gesto de mão com significado religioso), 真言 Shingon (Mantra ou encantamento verbal sagrado) e 和歌 Waka (poema japonês clássico).